Doze, treze … vinte … vinte e três

  Nos grilhões: bunduda, carapinha, carniça, carvão, cinzeiro, feijão, fumo-de-corda, meia noite, nega fedida, pixaim, saci e tição. Quando não faz na entrada, faz na saída. Depois da malditaprincesaisabel: cabelo de bombril, charuto de macumba, coisa-feia, exu, negrinho do pastoreio, pai-tomás, peste, sola de sapato e tiziu. Nego parado é suspeito. Nego correndo é ladrão.…

Minha tia

Velório Cheguei antes. Cheguei antes no funeral de minha tia. Tia Júnia, 5 de maio de 2011. Tinha falecido no dia anterior, em uma quarta. Seis e meia, o sol aparece como todos os dias, sem nenhuma diferença. Uma boa manhã quente para velar Ligo para um. Conto sobre o falecimento. Ligo para outra. Conto…

BIANCA

  “Doze anos em flor! A linda menina ainda não pensa no amor.” Ela O reconheceu na novela das seis. ELE não era o galã, mas o amigo do mocinho. ELE também amava a mocinha, mas por fidelidade e dedicação ao amigo, abriu mão do grande amor. “Quero que seja feliz, mesmo que não seja…

POEMETO III

Paula balbuciou: Pau bonito. Pirei!! Bela praguejou: Bilau pequeno! Babei. Pilar bradou Ponta boa!! Prazer!! Belmiro pontuou A bunda porra!! Briguei!! Perdi… Bacana!!

SIMPLES HISTÓRIA

  Acorda pensando nele. O marido faz o café e a filha se troca sozinha. Toma banho ruminando sobre si mesa. Escolhe cada peça torcendo para que ele seja atraído. Faz um pedido para cada escovada.   Ela adora o jeito que ele a olha.   Beija a filha. Despede-se do marido. Sai sem tomar…

POEMETO

  Sempre antes de traspassar, massageio a minha memória lembrando a primeira vez que a vi. Encantadora de perfil me deslumbrou. Formosa e perfeita. De longe, era impactado pela sua profundidade. Atritava-me por ela em palavras, atos e contrições. Mas, em um tempo, não bastou mais. Na conquista, soube os seus desejos. Fui à frente…

A HORA MAIS CLARA ANTES DO ANOITECER

  Peça Branca De madrugada mato a saudade de minha vida. Choro de morder o travesseiro, por não ter tempo de melhorar. Choro de soluçar por não poder ter de novo.   Peça Ferrugem — Alô? É da polícia? Não, não posso falar mais alto… estou escondido! Sabe o que foi? Fui raptado! Não ……