ELEONORA ou quando uma professora de matemática não tem o que fazer

  OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Estou farta do logaritmo abandonado. Logaritmo mal compreendido. Logaritmo só para a prova. Greve de motoristas, não consigo ir para a escola. Kebom!! Não ponho o meu carro para rodar por nada deste mundo!!! Circunferência. Conjuntos numéricos. Potenciação e radiciação. Teorema de Thales: Duas pessoas, sendo uma delas eu, cortam-se, destrói até não sobrar nada para recordar e nem tem felicitações no face.O pessoal do estado podia detonar uma greve também, né? Tomara! Função de Segundo grau. Inequacões de Primeiro grau. Números irracionais. Siririca com a mão esquerda. Zero, esse nada que é tudo! Café. Os números governam o mundo. Um cigarro. Vontade de poetar. Os pontos não têm partes nem dimensões. Existo e ponto. Existem em ponto. Tenho nome de santa. Nasci em 21 de fevereiro. Peixes e uma senhora dragão no Chinês. Totalmente emancipada, por isso as táticas fortemente arquitetadas contra ela não levarão a parte nenhuma. Brotei antes do Golpe de 64. Hoje meus amigos somente me convidam pára visitas em hospitais, outros amigos internados, ou velórios de velhos amigos mais novos que eu. Outro café para relaxar e então: gugar!! Empanturro com os meus coelhos, desejando os alunos. Sofro de uma doença genética, ser professora. Minha mãe era de Português, meu pai de Geografia. A minha tia materna de Historia. Um tio paterno de Artes. Meu único irmão, mais novo, de Biologia e a esposa dele de Inglês. Meu primeiro noivo que deixei era e ainda é de Física e o outro, também jogado ao vento, de Química. Meus alunos e os coelhos. Deborah inundada de arrogância e beleza. Fernando sempre bonito e casto. Gabriela sem cravo e com belas canelas. Gustavo um guloso. Joyce vingativa e charmosa. Laís lasciva e leal. Sônia sem muita modéstia mais com um olhar quente. Suspirando pelos novos, saboreando meus coelhos. Eduarda preguiçosa até para respirar. Gabriel sensual como uma codorna. Guilherme sereno com um tufão. Jessica simples como o teorema de Pascal. Kamilla sem nenhuma temperança. Kebom!! Mesmo que a greve acabar, a Raposo está interditada. Não conseguiria chegar em Carapicuíba nem se o inferno nevasse como na Aclimação!! Pessoal do movimento interrompeu tráfego no km 16. Movimento das abelhas rainhas, das grandonas, das com cabelo acaju e das de grelho grande! Números reais. Probabilidade. Teorema de Pitágoras: Em qualquer relação que, não importando o quadrado, minha hipotenusa fica sem nenhum dos catetos. Estou farta do lirismo comedido. Do lirismo bem comportado Dos seios grandes, das de vaginas fundas, das empregadas diaristas que querem receber semanalmente, das contra o quarto, das sem razão… Meninas com cabelos azuis?! Minha sobrinha está com o cabelo azul. As meninas com os cabelos azuis beijam meninas também de cabelos azuis. As de azul aço estão sempre dispostas a dar um beijo e um abraço. As com o azul alice nunca ficam só no beijo tríplice. As de azul cadete, cumprindo ordens, beijam mas pedem um boquete. A filha mais velha do meu irmãozinho. Que com as desavenças paternas insiste em vir abrigar-se aqui. Passa o final de semana. A semana. Até ficou um mês. As de azul camarada, fazendo graça, nunca ficam parada. As de azul celeste, dão um beijo bem cafajeste. As de azul céu profundo já gozam com o beijo do mundo. Já me levou dinheiro, brincos e pulseiras. Ponho na conta da função de ser madrinha. Safada sobrinha!! Me deu uma vontade louca de escrever, comer um dos coelhinhos e dormir. As de azul manteiga beijam mais são meigas. As de azul meia-noite, perigosas, dão sempre um beijo dinamite. As de azul taparuere, sem alarde, apenas beijam, sem rima apenas com satisfação. Escrever, ler e guardar. Só depois sonhar. As azuis tem até blog! Falam do amor. Poesia também?!? Nossa!! Buceta!!! A viada roubou o meu poema. Caique, Camila, Cássio, Carol, Cláudio, Conceição e Cris / Coelhos cintilantes / Crianças. Cacete!!! Colocou no nome dela. Coloridos / Caridosos / Cômicos / Comestíveis com coentro, carinho, curry e cominho. Perereca cega!!! Invadiu o meu note, copiou e blogou!!! Caridosos / Cômicos / Coloridos / Comestíveis com carinho, curry, coentro e cominho. Caralho! Mas como teve coragem?!? Crianças / Coelhos. Cris, Conceição, Cláudio, Cássio, Carol, Camila e Caique. Peste!!!! Juro que vou quebrar os dentes dela. Tô fodida. Oia!?!? Tem gente que gostou!?! Duca mina!! Deu vontade de beijar a sua boca até rachar. Muita gente! Aí se eu te pego agora declamado para mim beijo seus pés, quer? Muito mesmo!! Casa, comida, roupa lavada e você declamando para mim, Será??? Será?!? Será que posso também postar neste blog?

Anúncios

5 comentários sobre “ELEONORA ou quando uma professora de matemática não tem o que fazer

Por gentileza: comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s