ÍRIS

estufa de flores coloridas (1)

Ele a pega com a mão em seu bolso. Agarra o pulso, faz um pequeno passo de dança no apertado metrô e a puxa.

— Tranquila.

Ela obedece.

Não devia ter mais do que catorze.

Ele sorri

Ela treme.

— Iris. — ele a batiza!

Descem na estação seguinte e sobem enlaçados a escada rolante.

— Gosta de alcachofra, minha flor?

Passeiam pelos cascalhos das ruas.

Sentem o vento árido.

Entram em uma lanchonete

— O de sempre, doutor? — … e vem um café de coador grande e um prato de brócolis, alho e óleo — E o que o broto quer?

— Iris, experimente as sementes de girassol. É muito bom!!

— Essa é para criar raízes, doutor?

— Apenas outro botão.

Andam atados. Ele fala de bonsai, fungo, pássaros e estrume

— Onde?

— Para o meu jardim.

Chegando, ele mostra a estufa. Ela vê outras flores.

Na luz: a Acácia, Dália e a Margarida

No escuro: Magnólia, Rosa e Camélia.

Ela se rende.

Teve alguns dias de aclimatação.

Em uma tarde: ele rega.

Em outra: Aduba

Em outra: rega e aduba

Em outra: aduba e rega.

Descansa.

Recomeça mas ela não vinga.

Ele poda.

 

Anúncios

Por gentileza: comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s