Gente é para brilhar!!

 Gente 2

 

“Segundo Stanislavski: todos os nossos atos, mesmo os mais simples, aqueles que estamos acostumados em nosso cotidiano, são desligados quando surgimos na ribalta, diante de uma platéia de mil pessoas.”

 

Rúbia dirige segura, firme como um “ás” do volante. Na estrada chega a cem!

Também reclama que não fui fiel. Que ficou conversando com outras, as “galinhas”. Que insistiu em dançar lambada com aquela pirralha peituda.

 

Você ri. Nada se lembra disto. Não tinha prestado atenção.

Queixa que não ficou nem um minuto. Justo no noivado da prima dela querida!!

Reprova a calça que insistiu em usar.

Critica o seu gosto para shampoo.

 

Você gargalha. Diz que a peitudinha tinha idade para ser sua filha, se assim tivesse. Afirma, sem fôlego, que não tem mais idade de ficar em aventuras.

Arrisca a afirmar que é com ela, a Rúbia, que quer passar os seus dias. Afinal, está com bem mais de cinqüenta, quer se aquietar. Ser dupla. Ser companheiro. Solfeja: “Por onde for, quero ser o seu par”.

 

Rúbia!?!

Freia e decreta: “Ou desce ou eu te mato”.

Tenta falar que a ama.

“Eu te mato!”

 

Você, agora segurando o riso, sai fingindo contrariedade.

Meio da noite?

Meio da estrada?

 

Sorrindo ouve o acelerar sumir.

Deixa ela ir com a certeza que o esperará na próxima curva.

 

Ou na seguinte.

 

Não!

 

Na próxima.

 

Cansa de tanto ter certezas.

 

Amanhece e se arrepende de ter deixado a carteira, celular e a blusa no carro.

 

Talvez ela o espere no próximo posto.

 

O próximo posto demora.

 

Pela estrada fora eu vou bem sozinho…”

 

Sol aquecendo e apenas curvas, altos e baixos.

Cansado você para no final de uma subida.

 

Terá que pedir carona.

Mas ninguém passa.

 

De longe vê um caminhão. Baú. Vermelho. Prepara o melhor sorriso e faz o sinal.

Sorte!!!

 

Corre pensando em ir só até o próximo posto, afinal Rúbia o espera lá.

A porta do passageiro se abre.

Você põe o pé no estribo e…

 

“Isso é por que é necessário se corrigir e aprender novamente a andar, sentar, ou deitar. É necessário a auto reeducação para, no palco, olhar e ver, escutar e ouvir.”

 

Não tem noção de quanto tempo já passou ali

Muito.

Muitos.

Muitas.

Os odores já são até familiares.

 

Desde o primeiro momento aceitou as ordens das vozes: Três vozes masculinas diferentes que disseram que foram escolhidos e que nos conduzirão para um paraíso. Um mundo onde seremos conduzidos por estes pastores.

 

Todo comando é acatado

Obedece: não fala.

Fica de quatro.

Não olha para eles.

Come somente quando mandam.

 

No começo imaginou que só você era que levava as mordidas, tapas e chutes

Depois a fome deu força e a ordem veio: Ataque!!

 

Você mordeu e lutou. Não incomodou muito com a primeira orelha que arrancou. O gosto era meio adocicado e alegrou a alma!

Veio mais sangue.

Mais alegrias.

Afagos

 

“O ator deve construir psicologicamente a personagem, de forma minuciosa. Mesmo que a peça forneça dados, deve-se buscar, com o exercício da imaginação, o passado e o futuro do personagem.”

 

Entre arrulhos e balidos.

Cacarejos e coaxares.

Ganidos e mugidos.

Rugidos e zurros, você lembra que não viverá mais o mesmo tanto que já viveu. O que era para ser já foi. Viver mais que o pai. Talvez. Pensou em parar de desejar um cigarro.

Viu o que tentou fugir sendo morto pelo esganador.

 

A fome obriga o obedecer aos escolhidos.

Aqueles que profetizam os caminhos para impedir um novo Apocalipse você de quatro deve ficar..

Não tem ideia o que são!

 

Você, outra e outro, passearam pelo pasto.

Trote, passo, galope curto e galope pleno.

Grama tem gosto de ambrosia.

Agrado, cafuné e carinho faz o dia mais feliz.

Na volta, ciumeira faz serem mordidos. Sem ficar de pé você defende a outra e o outro. Bocada, dentada, e picada fazem a paz voltar.

 

Stanislavski, entendeu que as emoções não estão sujeitas a nossa vontade, e sim ao resultado de um processo de vida. Elas não podem ser atingidas diretamente. A ação é o indicador mais preciso da personagem. É inútil elaborar como a personagem vai agir sem saber qual ação que vai fazer.”

 

Tudo é muito escuro.

Levam você para a parte de cima.

Fica na sala e a porta está aberta.

 

Você vai até o batente. Sendo o cheiro do “lá fora”.

Sem acreditar que está sozinho. Sente o cheiro da Rúbia. Da sua casa. Do seu trabalho. Dos dias passados.

Inspira.

Volta, fecha a porta e vai deitar na frente da escada. “Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!”

 

Ganha uma ração extra, um banho não ficando de pé e paparicos na barriga.

 

O ator tem de dominar a biografia total do personagem

 

Afiar os dentes foi fácil.

Unhas também. Pedra e paciência.

Sua mordida era cada dia melhor.

Está ficando o pior. “Mas lá em casa todos meus amigos, todos meus camaradinhas me respeitam, oh yeh!!”

Nunca uma chicotada por hesitar em morder. Estraçalhar.

“Ai, ai, ai ai, ai ai ai. Está chegando a hora. O dia já vem raiando, meu bem. Eu tenho que ir embora”

 

“Segundo Stanislavski: A criação é, antes de mais nada, a plena concentração de toda a natureza espiritual e física”

 

No seu grito todos saltaram.

Ataque na jugular.

Urra e a sua matilha o segue.

Os escolhidos são facilmente engolidos.

Deglutidos

Devorados.

Ingeridos.

Saboreados.

 

Arrulhos, balidos, cacarejos, ganidos e rugidos de vitória.

 

Depois para emoção esvair.

Depois os seus se erguem.

Zonzeira por ficar em pé.

Você acende a luz.

Não o encaram.

Alguns choraram, outros riem e você irá procurar por um cigarro.

Vai dar uma surra federal da vadia da Rúbia!

“Rodrigo, Maria, Roberto, Caetano, Helena, Jandira, Joana, Moreno, Francisco, Beatriz, Nanete, Christina ,Gilberto, João, Cláudia, Renata. Gente é pra brilhar, não pra morrer de fome”

Anúncios

2 comentários sobre “Gente é para brilhar!!

  1. Gostei muito desse teu texto, particularmente da foto; já estive nessa posição trocentas e incontáveis vezes. Conheço essa dor. Cada dia melhor, amigo, gostei mesmo. O primeiro pensamento já conhecia e já havia experienciado; é exatamente como o pensador afirma. Grato por lembrá-lo!

Por gentileza: comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s